A labuta do aprendizado e do dever de casa

Padrão

Eu não sei se já comentei por aqui, mas de toda forma repito: fazer o tal dever de casa todo santo dia com a criançada é cansatiiiivooooo, muito mesmo. Só quem passa por esse calvário sabe do que estou falando!!

As crianças tem muita preguiça; Afinal, existem coisas muito mais gostosas e divertidas a se fazer (como por exemplo, ver tv, jogar jogo no computador, brincar) e é uma luta convencê-los de que o dever de casa não é algo a se fazer quando se tem vontade, mas uma obrigação diária. Então, invariavelmente há choramingos, reclamações, pedidos de “espera mais um pouco”, etc. Aí vc veste a cara (sim, porque no fundo a gente tbém não está com a mínima vontade de se sentar e ficar, por mais de uma hora, corrigindo, mandando apagar, explicando, reexplicando, se irritando, procurando figuras em revistas, enfim, fazendo toda uma lista de chatices) e segue em frente.

A Giovanna até na hora das atividades tem aquele “jeitinho” de sempre: quer que estejamos literalmente grudados nela, de preferência olhando pra sua cara. Já o Gustavo é mais independente nesse ponto. Eu falo o que ele tem de fazer e saio de perto; Aí quando volto já está terminado, e às vezes até ele já está no meio do próximo, se guiando pelo exemplo, visto que não sabe ler.

Sinto que a Gi,  apesar de ainda ser super dispersa, ainda se distrair demais, pedir explicações pra tudo e dizer sempre que não entendeu o que se pede, já está bem melhor na matemática, que era a matéria onde ela estava pior (pra se ter uma idéia, ela não conseguia de forma alguma assimilar a ordenação dos números, que é o supra sumo do básico) ; Já está fazendo continhas de adição e subtração no QVL, apesar de eu notar que ela ainda faz no “automático”, sem exata noção do significado daquilo; Mas aos poucos creio que a ficha vai caindo, e talvez num futuro próximo  ela consiga não precisar tanto do apoio de um adulto pras tarefas diárias. 

Já o Gustavo está literalmente no b-a-bá, e aos poucos começando a entender o que significa a silabação. Ainda um bocado devagar, se esquecendo o nome de muitas letras, escrevendo muitas de forma espelhada e tals, mas acredito que até o final do ano ele já esteja com uma noção bem boa. Já na matemática ele se sai super bem, e chega a dar as respostas pela Giovanna na hora em que estamos estudando! Incrível mesmo como cada pessoa possui um tipo de inteligência.

Anúncios

»

  1. Ô hora triste mesmo, eu no final da gravidez, não ando tendo a mesma paciência que antes, nem a mesma vontade, pq juro, adorava… Agora…….
    Mas a Ellen entende bem, tem espelhado menos as letras, e na matemática ta melhor, mas tem que fazer junto… Acho que até o fim do ano ela estará lendo mto melhor, já melhorou mto, mas ainda tem mto o que fazer com ela…
    Bjs e boa sorte :)

  2. Pois é né Flavia, eu que até o meio do último ano não sabia o que era ajudar no dever de casa agora estou na luta com o Jujuba . Por exemplo, ele tem um trabalho para entregar amanhã, enorme , e está adiando , adiando…
    Já sei que amanhã , com almoço e lanche da escola pra arrumar, vou me estressar porque estarei ajudando a fazer o bendito(?) trabalho . E ele sempre quer escrever menos do que deveria, colocar menos palavras e grita “tá bom, tá bom, só isso tá bom…”
    Nunca tive esse tipo de problema com a Valon , então não sei mesmo o que fazer. castigo já tentei todos . A professora me diz para mandá-lo sem fazer que ela resolverá com ele. Ora, estarei me passando um atestado de incompetência se fizer tal coisa.E repito sempre: – Marc, eu não estudo, eu não tenho dever de casa,minhas obrigações agora são outras (e não menos agradáveis diga-se de passagem.)
    Beijos,saudades de você e dos babies

  3. Flavinha

    Que é difícil minha cara amiga eu sei que é! Sei também que você não está reclamando e que valoriza nestes momentos o potencial de seus filhotes, mas não posso me furtar a fazer uma comentário… que vontade de ter este trabalhão todo minha amiga!!! Quem dera eu pudesse sentar e brigar um pouco com a Milena por ela ter preguiça ou desatenção!!!
    Como nossas dificuldades são muito grandes, adoramos ver que nossos amigos aprendem tanto e evoluem tanto.
    Trabalho com dificuldades de aprendizagem como psicopedagoga e posso te afirmar, os conhecimentos de base, são muito negligenciados na educação, de forma que na maioria das vezes a dificuldade dos alunos é quase sempre problema de ensinagem… não é culpa de ninguém, é apenas uma educação ainda distante das especificidades de cada um.
    Não desanima não!!! Respira e enfrenta esta hora de penúria na certeza de que ainda irá sentir saudades delas :)
    bjim procê!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s