Arquivo mensal: março 2009

Desafios da educação – I

Padrão

Sempre me disseram que o pior está por vir em termos de preocupação com as crianças. Acreditar eu acredito, mas é o tipo da coisa né, enquanto a idade deles não aumenta, eu me iludo imaginando que tudo só vai melhorar.
E de fato melhora, pelo menos em termos práticos. Eles vão se tornando mais independentes, não é mais preciso fazer absolutamente tudo por eles, etc. Porém, a questão da educação em si vai se tornando cada vez mais complexa.
Tenho me deparado com várias questões do dia-a-dia deles e através destas venho tentando demonstrar como funciona a vida e explicá-los da melhor forma possível, de modo que eles entendam, assimilem. Não é fácil.
Anteontem por exemplo, cheguei pra pegá-los na escola e a Giovanna estava aos prantos. Então ocorreu o seguinte diálogo:
-Ninguém quer brincar comigo.
– Tá, mas como assim? Te disseram: não queremos brincar com você?
-Não, só continuaram correndo e não falaram nada.
– E o quê que tem, minha filha? Elas simplesmente continuaram brincando. Se não disseram nada, comece a correr junto!
– Mas eu queria brincar de esconde-esconde, e não de pega-pega.
– Ah bom, então vc queria que elas fizessem o que vc queria. Mas ninguém é obrigado a fazer apenas o que você quer. Se elas não queriam o mesmo que você, ou entrasse na delas ou se sentasse e pronto! Se não está a fim de fazer o que os outros fazem, fique na sua, ou vá brincar com outros, não precisa se chatear por isso.
Bom, mas isso é um resumo. Na verdade essas mesmas frases foram repetidas exaustivamente, porque ela é mooooito teimosa e simplesmente não aceita, argumenta, discorda.
Essa falta de flexibilidade aliada à excessiva sensibilidade dela me dão um certo medo; Medo de que ela se torne uma adulta extremamente carente ou extremamente autoritária (ou ambos), dois traços de personalidade a meu ver muito complicados, que fazem perder amizades, tornam a pessoa vulnerável, enfim, fazem sofrer, e eu não quero que eles sofram!! Quero lhes ensinar a serem flexíveis, a terem amor próprio, a saberem ceder e ao mesmo tempo se impor quando necessário…Será que eu consigo tanto?
Mas as pessoas são como são, e na minha opinião, já nascem a bem dizer prontos, precisando apenas serem lapidados. Espero de coração conseguir fazer com que ao menos se tornem emocionalmente saudáveis!

Anúncios

A festa

Padrão

A festa foi muito legal! As crianças se divertiram demais, o Gustavo estava simplesmente alucinado, parecia que queria brincar com todos os brinquedos ao mesmo tempo, participou de absolutamente tudo: os brinquedos, as brincadeiras, as danças, a gincana, enfim, ele realmente aproveitou muito! A Giovanna então, nem se fala, rs.
Ele chegou a ficar anti social de tanto que não queria saber de nada, só se divertir. Cheguei a precisar literalmente agarrá-lo pela camisa pra conseguir que fossem tiradas as fotos com ele. Estou até com medo da maioria não ter ficado boa porque ele fazia caretas e tentava se desvencilhar o tempo inteiro :( Fazer o quê, rsrs.
E depois que chegamos em casa ele não sossegou enquanto não abriu toooodos os presentes. Quis ver um a um :)
E minha maior satisfação foi vê-lo interagindo com todos os coleguinhas, alegre, encantado. Afinal, foi pra isso que fizemos essa festinha: pra ele guardar na lembrança esse momento inesquecível de sua infância feliz.

Diversos

Padrão

O aniversário do Guto será amanhã, e já está tudo nos conformes, só faltando mesmo alguns detalhes. Ele está empolgadíssimo e a irmã mais ainda, contando os dias um a um.
Foi uma luta definir o tema mas acabei decidindo por Carros, que é um de seus brinquedos favoritos, além disso os carrinhos deste desenho animado são muito fofinhos. Agora é aguardar! Estamos todos ansiosos!
Olha como o convitinho ficou fofo (obra da minha amiga Letícia, dona deste blog:

*******
As crianças estão amando a escola. Chegam todo dia super alegres, animados, contando as atividades, falando dos coleguinhas, uma beleza. Só pra mim está realmente muito cansativo, mas sinceramente não tive coragem de buscar outra escola nem outra alternativa (a não ser o escolar, mas por enquanto ainda vou aguentando as pontas), principalmente por eles.Não tenho coragem de alterar drasticamente e em tão pouco tempo a rotina deles, que foi totalmente alterada no início do ano…
********
E meu novo local de trabalho é bom; Claro que ainda sinto falta das minhas colegas e do meu ambiente antigo, até mesmo pela sensação de insegurança que a gente sente quando está em um local novo, principalmente nesse caso em que eu fiz a opção de troca por livre vontade. Quando a gente perde o emprego e depois entra em outro ou até quando troca de emprego por uma grande melhoria salarial é diferente porque ou foram as circunstâncias ou o benefício é notado de imediato, e já no meu caso, como por causa da troca de horário e de eu ter que sair ainda mais longe do que antes, não estou sentindo melhoria alguma. Mas Deus é pai e em futuro breve descobrirei que valeu a pena. Torçam por mim!! rsrsrsrs.