Limites dos outros

Padrão

Ultimamente ando meio preocupada quanto ao limite que devo colocar nas pessoas ao chamarem a atenção dos meus filhos, principalmente em relação à minha mãe. 

Por morarmos no mesmo lote, de um jeito ou de outro ela acaba sempre interferindo na educação das crianças, se não quando eles estão na minha casa, ao menos quando estão na dela.

Claro que eles não são santos, muito pelo contrário, eu reconheço isso e quando eles fazem algo errado em qualquer lugar eu os repreendo, e muito. O que tem me irritado bastante é que ninguém, além dos próprios pais, é obrigado a aturar uma criança. Eu, se meus filhos estão me enchendo o saco, sou obrigada a aguentar, mesmo que tomando alguma atitude, seja colocando-os de castigo, ou dando uma bronca. Ela não. Encheu? Pede pra eles irem embora, fecha a porta. 

Às vezes os meninos estão brincando, conversando, numa boa. De repente a avó os chama pra qualquer coisa, só pra eles irem pra lá. Não dá nem 5 minutos e ela já começa a berrar sem parar: pra eles calarem a boca que ela quer ouvir a Tv, ou que quer conversar ao telefone; Que é pra eles pararem de mexer nisso ou naquilo; Que não vai dá-los num-sei-o-quê agora, enfim, não pára de chamar a atenção deles 01 minuto sequer. Tudo bem, eles estão errados. Mas cansa ficar ouvindo-a  criticando-os constantemente. Na minha opinião, o ideal seria ela falar pra eles irem embora e pronto, mas não, ela quer que eles se transformem numa coisa que não há condições na idade em que eles estão: que fiquem sentadinhos, mudinhos, sem mexer em nada (detalhe: esse nada inclui toneladas de brinquedos e bugigangas interessantes espalhadas pelo chão). Quando eu digo que não vai adiantar ela ficar xingando mil vezes, ela responde que eles TÊM que aprender a ficar quietos e calados quando ela mandar, e da 1ª vez!!! Há como isso com duas crianças de menos de 5 anos, juntas???

Outro lance é com minha cunhada. Dia desses eu estava na casa da minha sogra, e a Giovanna comendo um pão, descalça. Daí resolveu calçar a sandália e então colocou o pão em cima de uma mesinha pra fazê-lo. A tal, que sempre foi e é muito da petulante, virou pra Gi e disse:

– Giovanna, e esse pão em cima da mesa?  (naquele tom mega-imperativo que vc já imagina…)

Ela então correu pra pegar, no que eu imediatamente disse:

– Filha, primeiro acabe de calçar sua sandália, depois pegue o pão.

Putz, que atrevimento, viu? Se fosse a filha dela eu jamais diria isso; Acho que só porque ela é tia não tem o direito de vir ditar ordens pra eles, a não ser no caso em que eu não estiver por perto.

Sei lá, talvez eu esteja sendo excessivamente protetora, será? Dando uma de mãe que não quer admitir os erros dos filhos e lhes passam a mão na cabeça? Mas na verdade não é bem assim. Eu sei que eles têm atitudes erradas, sei que incomodam os outros, não me sinto bem com isso e tento evitar. Eu só não quero que as pessoas fiquem chamando a atenção deles sem parar, ou senão lhes ditando ordens, tudo na minha frente. Se há alguém com propriedade pra tal, esse alguém sou eu e meu marido.Ou não???

Anúncios

»

  1. Flávia,

    Eu acho que só quem educa os nossos filhos somos nós. Portanto, bronca quem dá é a gente. Talvez seja o caso de vc falar com a sua mãe que quando ela se sentir incomodada com os meninos deve falar com vc para então vc conversar com eles. E cá entre nós, acho que avó é para deseducar. Se ela ficar querendo educá-las vai perder a chance de ter um ótimo relacionamento com os netos.
    Beijos
    Ana

  2. Flávia, concordo com a Ana, quem deve educar os filhos somos nós!!! Minha mãe fica bastante tempo com a minha filha, mas ela sempre, qdo estou por perto, pede para eu dar as broncas e etc, pra Mari não confudir e saber que é a mãe/pai que tem botar a ordem no pedaço… Converse com a sua mãe… peça pra ela te chamar e conversar com os seus filhos!! E é verdade, vó serve pra deseducar, brincar, fazer coisas que as crianças não fazem com os pais!! Pelo menos era assim que minha avó fazia comigo e meus irmãos e que minha mãe e sogra fazem com a minha filha, e ela adoraaa… Já chega em casa que temos que dar broncas e limites o dia inteiro, não??
    Beijinhos, Adriana!

  3. Olha Flá!!!
    Eu acho que vc ta certa, ou então sou superprotetora como vc… A não ser que eu não esteja vendo, não gosto que deem ordens pra minha filha… O fato da sua mãe se intrometer, é por ficar perto demais, será que uma conversa não ajudaria???? A minha mãe quase não se intromete, e minha sogra tb não, acho tb pelo fato de morarmos fora… Olha… boa sorte aí, espero que as coisas se encaixem… Bjos…

  4. Oi, arranjei um tempinho pra vir aqui porque estou com muuuuuuuitas saudades rsrsrs.
    Eu não acho que vc está sendo superprotetora não, imagina, me deu raiva só de pensar na situação, mas eu sei que não é fácil, principalmente por se tratar da nossa mãe, eu tb moro no mesmo lote que a minha e como vc disse é claro que uma hora ou outra ela vai chamar a atenção da Mariana, e eu acho isso bom, mas estou dizendo isso porque minha mãe pensa igualzinho eu e é mole, mole, então só dá broncas “leves”, agora as situações que vc contou me deixariam bem chateada com a minha mãe e cunhada viu, muito mesmo.
    Acho que vc devia falar pra ela que não gosta disso, falar do jeito que vc falou aqui, não é fácil, mas é o único jeito né.
    Boa sorte aí linda, estou com muitas saudades viu.

  5. Flá,
    Concordo com vc: quem dá broncas, dita as regras são os pais e ponto. A não ser na nossa ausência ( e quando damos esse direito) aí sim outra pessoa pode assumir tal lugar.
    Não acho que vc está errada não. Certíssima e no seu lugar ficaria p da vida também.
    Acho que vc deveria pelo menos tentar conversar com sua mãe, que pelo que parece é a situação que mais incomoda.
    Em relação a CUnhadinha, continue colocando a dita no seu devido lugar que uma hora ela aprende!
    Como esse povo gosta de se meter, não?

    Bjkas

  6. Imagino como você se sente.
    Família é bom, mas quando estão próximos demais acabam excedendo.
    Como sua cunhada está mais distante talvez conversar com jeitinho resolva, mas com sua mãe que está tão próxima acho que não será tarefa fácil.
    Vou torcer para que você consiga resolver da melhor forma esta situação.
    Beijos

  7. Olha amiga eu não acho que vc está sendo super protetora não… Sabe aquela: Quem pariu Mateus que o embale, pois é pra mim isso vale para educação também… Aqui em casa a sogretes já levou uns bons foras… A Ogra quer que a Bia no auge dos seus 21 meses fique sentada, quieta, vendo TV, como uma retardada… Aí um dia ela falou: nossa mas ela não pára, né? E eu respondi: sinal de saúde, graças a Deus!!! Nossa mas a fulaninha, detalhe, ela daora comparar a Bia com os demais netos… A tal fulaninha sempre ficou quietinha, e tals…. Aí eu falei: talvez a fulaninha seja um boboca!!!! Ela nunca mais falou nada, pelo menos pra mim!!! A Bia é como toda criança e pelo visto não é nada diferente dos seus filhos… Então eles têm comportamento de crianças nada de mais! E essa de obedecer na primeira é absurdo amiga… Fala sério que nem a gente eles obedecem de primeira… Aqui em casa só de 100ª!? O lance com sua mãe com certeza vai ser mais complicado, mas a cunhada, se fosse boa não começava com CU, vc pode e deve dá um chega pra lá…
    Espero que conterne a situação, tá???
    Bjus,
    Dany

  8. Oi, Flávia, essas relações são delicadas mesmo. Tem que ter muito jogo de cintura às vezes, outras, tem que falar rasgado. Eu sofro com isso também…Obrigada pelo recadinho sobre o mestrado.
    Beijos

  9. Flá…
    Qto à Polly, a Ellen ainda não sabe tirar a roupa dela não… Mas se quer um palpite, quem sabe vc mesma tira a dúvida de uma forma não mto cara… tem umas amigas da Polly, são verdadeiras e custam 9/10,00 R$, e dá pra ver se ela gosta ou não, a ellen até brinca, mas não mto, o que não é regra tb, né???
    Bjos e boa sorte!!!

  10. Caríssima, obrigada mais uma vez pelas carinhosas palavras deixadas no mundo da mi.
    Flavinha, eu passei por uma situação recentemente que me gabarita a falar pela visão do outro lado. Chamei a atenção de uma amiguinha da Mi, achei que pela mãe estar encontrando dificuldades de impor limites como ela me relatou, eu ajudaria dando uma bronca de leve na garotinha. Como fiz com carinho, mas com jeito de bronca mesmo achei que tava tudo bem, tanto que não escondi, falei na frente da babá… Menina, deu um boró… a mãe ficou ofendidíssima e quase a amizade vai pro ralo.
    Eu pedi desculpas, revi minha atitude e percebi que fazer ao outro o que gostariamos que nos fosse feito nem sempre funciona… Eu não ligo quando chamam a atenção dos meus filhos se eles estão errados, eles receberão muitas broncas ao longo da vida. Mas é claro que tem broncas e broncas… No seu lugar eu também não ia gostar.
    Toma coragem e conta isso pra sua mãe, com carinho e jeitinho. Se ela não entender, é um problema dela. Deixar essa situação continuar é que vai acabar virando uma bola de neve né?
    Nossa! Que testamento!!!!
    Deculpa amore.
    Beijos

  11. Eu acho que vc tá certíssima. Também fico p da vida se alguém repreende minhas filhas na minha presença.
    O que complica a situação é que na casa da sua mãe quem realmente deve dar as ordens e ditar como as coisas devem ser conduzidas é ela, afinal é a dona da casa. Acho que vc pode conversar com as crianças e com sua mãe e deixar as visitas mais espaçadas e curtas, para tranquilidade de todos.

    bjo

  12. Bom, não li os demais comentários, e nem sou mãe, por isso acho que é melhor eu nem pitacar nesse assunto viu? Como tenho amigos q eu realmente acho que nao educam seus filhos, eu acabo chamando a atençao do menino qdo está na minha casa, pq ele abre as portas dos armários, mexe onde não deve. Entao sei lá entende? bjs

  13. Flávia, você está mais do que certa. É mais do que chato, uma outra pessoa chamar atenção dos nossos filhos dessa forma, até por mais que eles estejam errados. Ai, eu sempre me aborreço com a minha mãe, até com meu esposo, rs por causa dessas coisas. Criança é criança e eles tem suas vontades da própria idade, sendo que nós pais temos que freá-los, dando um belo chega pra lá.
    Minha mãe pinta a minha filha, como se ela fosse o terror, isso me chatea.
    Beijinhos

  14. Flávia não achei exagero nenhum da sua parte…É chato mesmo e acho que todo mundo deveria ter cuidado com esse tipo de coisa. A tarefa de educar é sua, de mais ninguém. E criança é criança, faz bagunça mesmo ué! Criança sem bagunça é sinônimo de tristeza. Tenta conversar com sua mãe, fala pra ela que vc não gosta disso. Mas é super chato mesmo…
    Beijos.

  15. Flávia, não está sendo super protetora não. Você está é muito certa, viu? Tem muita gente sem noção achando que pode dar ordem pros filhos da gente mesmo. Concordo total com você. Um beijo.

  16. Flá, que situação complicada hein? No caso da sua mãe eu acho que a melhor saída é estipular horários para as visitas. Sei lá, formalizar melhor quando as crianças podem e não podem ir até lá. Feito isso, eu não ligaria muito para as broncas dela não.

    Agora a da cunhada foi péssima mesmo. Sinceramente, achei ela bem sem-educação. Bjs

  17. Oi flávia, que bom te conhecer com esta história porque também passei por isso. Olha sei muito bem como se sente e acho que é super natural ficar magoada. Aprendi uma coisa nessas interferências malucas, sempre que pudermos protegê-los, faça!
    É importante sabermos o limite de não dar a eles a oportunidade de errar, mas também de dar a eles confiança necessária para agir pelos seus próprios atos. Acho que ninguém tem o direito de dizer a nós que não podemos ousar, mas todos tem o direito de nos aconselhar e mostrar caminhos. A escolha tem que ser nossa.
    Também aprendi que quando estou na casa dos outros, o que vale são as regras dos outros. então, antes que nossos filhos incomodem mais o outro, é melhor a gente intervir para não dar a chance do outro fazer aquilo que é nossa responsabilidade.
    Conversar com os parentes de canto é sempre a melhor solução ao invés de contradizê-los na frente dos nossos filhos. Com tempo, eles percebem o que pode fazer na casa do outro e o que pode fazer dentro de casa… e os outros também percebem que criança não é brinquedo nem adulto, mas criança feliz, que brinca, que grita e que faz suas bagunças sadias…acho que está no caminho certo, dá trabalho mesmo alinhar toda família a esse novo mundo que é tão fácil da gente entender, né!
    Bem, recebi seu comentário lá no Desabafo e queria lhe explicar mais sobre Desabafo cultural, me manda email para ceila@desabafodemae.com.br
    bjkas e boa sorte!

  18. Flávia, complicada a situação. Estou lendo os comentários um por um pra me preparar pela enxurrada de gente querendo educar e criar o meu filhote que vai nascer.
    Com o André aconteceu isso uma vez na casa da minha sogra, ele foi lá e não sei o que fez de errado e meu cunhado gritou com ele. Daí ele veio chorando pra casa e o cunhado veio depois me contar o que aconteceu. Como a casa era deles, o que eu fiz foi estipular que o André só vai lá acompanhado de mim ou de meu marido. E assim será com o Cadu tbm.
    E eu não permito que outras pessoas chamem a atenção dele na minha frente, pois sempre estou acompanhando atentamente o que ele faz, então quando ele faz algo que não pode, eu vejo primeiro e já repreendo. E além do mais, ele fica com vergonha se chamarem atenção dele na frente de outras pessoas, então é mais uma desculpa pra virem falar comigo e eu resolver a situação.
    Nossa, foi um testamento, consegui me explicar e dizer que te apóio?
    Beijos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s