Entre tapas e beijos

Padrão

Os irmãos brigam muito entre si. Isso é um fato. Aqui em casa tal afirmativa me é confirmada diariamente.

Eles se amam com toda certeza, e em vários momentos dão demonstrações de que sentem falta um do outro. Hoje por exemplo, foi muito fofa a hora em que chegamos na porta da escolinha e o Guto, ao ver a Gi, gritou: – Eeeei Ziovannaaa! Com um brilho nos olhos e grande alegria. Agora mesmo estão os dois “brincando de dormir”, se enfiando debaixo da coberta, fechando os olhos e rachando de rir, cúmplices, amigos. 

Na hora de alguma bronca ou castigo eles se solidarizam, tomam as dores, pedem: “Mamãe, não briga com ele”,  ou: “Tira ela do quarto”!  É uma graça.

Adoram assistir aos DVDs infantis na companhia um do outro e deram pra inventar brincadeiras “radicais”, tais como: pular do encosto do sofá, correr em volta da mesa de vidro, um sentar na cadeira giratória e o outro rodar, enfim, coisas ótemas pra eles se esbagaçarem no chão e arrebentarem a cabeça. Nessas  atividades em que não há nenhum brinquedo ou canetinha pra um querer invariavelmente o que o outro está utilizando, eles se dão super bem, riem muito, felizes da vida. Mas ficam numa farra e num barulho tão grandes que ao mesmo tempo que acho legal, pelo fato de estarem se divertindo juntos, torna-se super cansativo pra mim, pois fico apreensiva o tempo todo com medo de acontecer um desastre e também esgotada, pois barulhada na cabeça caaaaaansa, viu? rsrsrs.

Mas as discussões, geralmente por bens materiais, são constantes. E é por absolutamente qualquer coisa que se possa imaginar: pelo mesmo boneco, mesmo copo, mesmo travesseiro, mesmo giz de cera, mesmo lugar na cama, mesma cadeira, mesma bola, enfim, tuuudooooo!! Querem tomar, se estapeiam, gritam. Enquanto brigam e não há agressão física deixo-os se xingarem à vontade, por mais sacal que seja. Aí de repente já escuto: “Mamãaaae, fulana(o) me bateeeeu…” Lá vou eu fazer acareação, ver se houve sopapo mesmo, chamar pela milionésima vez a atenção do “batedor”… Ai meus sais…

Mas apesar de tudo creio que isso faz parte do desenvolvimento deles, e espero de coração que mesmo com todas as rusgas presentes e futuras eles consigam sempre se entender e se tornem grandes amigos.

Anúncios

»

  1. Oi!!! Obrigada pela visita e seja muito bem vinda ao nosso cantinho… Posso linkar vc??? Nossa me dá a receita querida??? Por que eu tô angustiada, achando tudo horrível…
    São dois bebês, né??? E 1 ano e 4 meses de diferença é triste, mas com você não foi diferente, né???
    Mas você é um estímulo, sabia???
    Espero trocar muitas figurinahs…rsrsrsrsrsrsrs
    Se tiver msn e quiser me add: dany08032003@hotmail.com
    Bjus,
    Dany

  2. Ahhh, Flá, com certeza serão (e já são) grandes amigos. Eu também me pegava no pau com os guris lá de casa, mas a gente cresce, né?! rs E tudo isso vira uma grande amizade com todo amor do mundo!
    Beijocas

  3. Oi,oi! Flávia, achei muito gostoso o começo do post. Dois irmãos brincando e rindo juntos, deve ser muito gostoso de ver. Fiquei só imaginando como seria bom. Mas pra mim, ainda é apenas um sonho e que realmente tenho que pensar muito.
    Motivos a parte. Realmente as brigas são comuns e o único medo é deles se machucarem mesmo. Aí é que pega.
    Você está certa deixando eles resolverem suas pendências e intervindo quando tem que ser. Concordo com você.
    Beijos na galera.

  4. Flavia, é, amiga… essas brigas são super comuns! Lá em casa a gente brigava até pela cor da roupa, tá? Sim, quérida… se um usava qualquer peça de uma determinada cor, os outros estavam terminantemente proibiso de usá-la e era pancadaria na certa… Minha mãe não discutia, pegava os dois, colocava de castigo, e o terceiro ficava de fora, intercedendo… rsss

    Hoje somos ótimos amigos, ou seja, é normal, sim!

    Beijos

  5. Flávia, me deu meda agora! Apesar de que lá em casa as brigas vão ser mais no estilo das que ocorrem na casa da Dê, mesmo assim me dá uma preguiiiiiça só de pensar no stress.
    Mas a alegria de ver os dois brincando juntos deve compensar tudo, né?

    Beijos

  6. Flávia, mas com certeza isso faz parte do crescimento deles. Tenho certeza de que serão bons amigos e ainda darão boas risadas se lembrando dessas brigas da infância – é o que eu e meus irmãos fazemos sempre. Beijos, viu?

  7. Essas brigas são super normais e saudáveis, você tem razão elas irão ajudá-los a se desenvolver. Os meus são grandes e continuam brigando!!! Há algum tempo atrás, estavam com cerca de 6 e 11 anos quase se mataram por causa do vídeo game. Detalhe: haviam duas TVs e dois vídeo games diferentes, mas é claro que eles queriam o mesmo. Resolvi o problema com aquele papo de que existe um monte de gente que não tem nem um game que dirá dois…etc. Depois expliquei que já que motivo da briga era o jogo, que eu resolveria o problema: guardei o vídeo-game. Um dia se passou e eles estavam se pegando pelo LEGO…guardei o LEGO, até entenderem que iriam ficar sem brinquedos!!!! As brigas passaram a ocorrer em menor freqüência.
    De qualquer forma você ainda terá que esperar um pouco para que os seus possam compreender esse tipo de punição.

  8. lindo…muitas vezes sinto as mesmas coisas com as minhas amigas e rivais…sao duas meninas ..quase da mesma idade entao…e entre tapas e beijos na certa!!beijao..

  9. Flavia,
    Eu acho que esses arranca-rabos fortalece a amizade e a cumplicidade dos dois, mas que cansa, ah isso cansa mesmo !
    Ainda não cheguei na fase dos tapas, só dos gritos, mas já to preparando uma dose extra de SACO !
    Beijos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s